Desinfeção de Condutas

Após a colocação de uma conduta nova, e antes da sua entrada em funcionamento, aquela deve passar por um processo de desinfeção, para que a qualidade microbiológica da água distribuída não seja prejudicada pela conduta e assim, seja dado cumprimento ao Decreto Regulamentar n.º 23/95 de 23 de agosto.

Essa desinfeção tem por objetivo a eliminação da carga microbiológica a que uma conduta é normalmente sujeita durante o seu processo de construção. Existem vários fatores que contribuem para a exposição de uma conduta à contaminação:

  • Os troços de conduta são usualmente armazenados em obra ao nível do solo e por vezes sem juntas nas extremidades;
  • Os acessórios idem, e regra geral, sem juntas nas extremidades;
  • As próprias condições climatéricas, chuvas fortes e repentinas, provocam muitas vezes inundação da conduta já colocada, que regra geral já não apresenta a extremidade tamponada;
  • O hábito de deixar a extremidade da conduta livre durante os períodos de paragem na obra;
  • A existência de rede de saneamento próxima da vala onde está a ser colocada a conduta.

Todos os fatores acima indicados, e outros, podem de facto contribuir para a contaminação de uma conduta, e devem na medida do possível ser controlados, para que a probabilidade de sucesso de uma desinfeção seja maior.

Nos processos mais tradicionais de desinfeção é utilizado cloro como agente desinfetante, o que causa dificuldade na rejeição da água resultante dessa desinfeção, dado o teor de cloro permitido na descarga de água (Decreto-Lei n.º 236/98 de 1 de Agosto).

A Manusystems comercializa e utiliza para a desinfeção de condutas de água o produto OX-Água 2ª Geração, isento de cloro, que está registado no sistema europeu R4BP3 como biocida tipo 2, 4 e 5. Em Portugal este produto foi avaliado pelo Laboratório Central da EPAL, constando na sua lista de produtos aprovados para desinfeção de condutas.

Modo de Execução

A Manusystems elaborou uma especificação técnica de desinfeção de condutas de água (ET-LDCN) que está a ser adotada por vários distribuidores de água. A mesma será disponibilizada a todos os interessados.

Apresenta-se de seguida e de uma forma resumida o modo de execução da desinfeção de uma conduta nova.

  1. Enchimento da conduta com água a uma velocidade baixa da ordem de 0,2 m/s.
  2. Lavagem da conduta com água com uma velocidade mínima de 1 m/s e ideal de 3 m/s, até obtenção de água límpida em cada um dos pontos de descarga.
  3. Enchimento da conduta com solução desinfetante de hipoclorito de sódio ou de peróxido de hidrogénio (OX-Água 2ª Geração), com registo da concentração em desinfetante ao longo da conduta.
  4. Contacto da solução desinfetante com a conduta (o tempo de contacto depende da concentração da solução).
  5. Terminado o tempo de contacto da solução desinfetante, novo registo da concentração em desinfetante ao longo da conduta.
  6. Descarga e neutralização da solução desinfetante (a neutralização pode ser dispensada quando se utiliza OX-Água 2ª Geração).
  7. Enchimento da conduta e lavagem final.
  8. Controlo da eficácia da desinfeção, pela realização de análises bacteriológicas em laboratório acreditado.

Veja também o Equipamento para Desinfeção de Condutas!

Manusystems – Manutenção de Sistemas, Lda.
Telefone: + 351 262 836 480
Fax: + 351 262 836 481
NIPC: PT 507 791 061

Estamos aqui:
Zona Industrial de Caldas da Rainha
Rua Pedro Nunes, n.º 38, Armazéns R e S
2500-303 Caldas da Rainha
Portugal

Centro Operacional da Região Norte
Vila do Conde
Telefone: +351 932 625 000
Sede Social:
Rua 26 de agosto, n.º 7A
2500-882 Caldas da Rainha
Portugal